Como uma casa inteligente pode facilitar sua vida em tempos de coronavírus

Com o isolamento provocado pela COVID-19, muitas pessoas passaram a ter um novo olhar para a casa. O homeoffice e a necessidade de permanecer recolhido criaram demandas diferentes. O foco agora está nos momentos que tragam conforto e sustentabilidade nas tarefas do dia-dia.

Seja na mobília ou na parte estrutural, a característica mais buscada é a facilidade. Os objetos precisam ser intuitivos, mas também pensados para um ambiente cada vez mais conectado. É por isso que o conceito de casa inteligente ganha força, já que pode auxiliar nas tarefas diárias e até mesmo ajudar na economia de energia.  

Para quem ainda não conhece o termo, casa inteligente é uma residência que integra sistemas avançados de automação para facilitar a vida dos moradores. Na pratica, essa tecnologia pode aparecer como uma fechadura eletrônica ou até mesmo como um controle da temperatura ambiente feito de forma remota.  

Automação em um mundo conectado

A automação residencial já é uma realidade para os norte-americanos e europeus, mas o Brasil tem avançado com boa velocidade no segmento. Nos Estados Unidos, o número de casas inteligentes representa mais de 20% em um grupo aproximado de 120 milhões de residências.

No Brasil, já existem 300 mil casas com algum tipo de automação. Segundo a Associação Brasileira de AutomaçãoResidencial e Predial (Aureside), a expectativa é que em dois anos a tecnologia chegue a dois milhões de casas.

Para Jéssica Narita Hattori, sócia-proprietária da empresa de automação Nobel Home, essa é uma demanda que vem ganhando o mundo todo. ‘‘No Brasil em especial, notamos uma exigência funcional por parte dos consumidores. Isso significa olhar a automação além do prazer da tecnologia para então focar em suas reais funcionalidades, no campo do conforto, praticidade, segurança e economia”, afirma.

Empreendimento Inteligente

Pensando em trazer essa tendência para Curitiba, a GT Building lançou o Denmark, o primeiro empreendimento com o conceito Hug House do Brasil. Entre as funcionalidades do edifício estão o uso da Inteligência Artificial (IA), por meio da Control4 e da Alexa, produzida pela Amazon. As funções disponíveis são diversas e podem ser controladas por dispositivos eletrônicos ou comandos de voz. Além disso, há a possibilidade de controlar a luz artificial e temperatura, acionar utensílios de cozinha e até mesmo trancar as portas e janelas de forma remota.

Além de todas as facilidades que proporcionam conforto ao lar, a residencial pode cumprir um papel muito importante na segurança remota da residência. “O acesso remoto hoje é fundamental nas plataformas de automação, inclusive em duas vias, ou seja, o cliente executando ações em sua residência estando em outros lugares e a residência reportando ao cliente informações necessárias para seu controle e segurança”, ressalta Hattori.

You May Also Like

pay-per-use

Pay per use: o que é e como o sistema funciona em condomínios?

smart home

Smart home: conheça as vantagens de ter um apartamento inteligente

Aquecimento residencial: como a arquitetura influencia no seu conforto?

automação-residencial

Veja as vantagens de inserir a automação residencial em sua casa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.